Epicondilite Lateral (Cotovelo do Tenista) - Tennis Elbow

DESCRIPTION

A epicondilite lateral, também conhecida como "cotovelo de tenista", é uma condição dolorosa que envolve os tendões que se originam do osso da região externa do cotovelo. Os tendões transmitem a força de um músculo para o osso. O músculo envolvido nesta condição, o extensor radial curto do carpo, ajuda a estabilizar o punho  emante-lo reto (Figura 1).

Na epicondilite lateral, há degeneração da origem do tendão, enfraquecendo o tendão e colocando maior estresse na região. Isso pode levar à dor durante atividades nas quais este músculo está ativo, como levantar, apertar ou agarrar objetos. Esportes como o tênis são comumente associados a isso, mas esse problema pode ocorrer em  muitas atividades diferentes.

Causas

Essa condição afeta tanto homens como mulheres, geralmente com idade entre 30 e 50 anos, mas pode ocorrer em todas as idades.

Aqui estão algumas potenciais causas desta condição:

  • Uso excessivo: isso pode ser ou não relacionado ao trabalho. O uso excessivo pode acontecer de atividades "repetitivas" de segurar objetos com força, como açougueiro, encanador, pintor, mecânico de autos, etc.
  • Trauma: Embora menos comum, um golpe direto no cotovelo pode resultar em inchaço do tendão que pode levar à degeneração. Isso pode tornar o cotovelo mais suscetível a uma lesão por uso excessivo.

Sinais e sintomas

A dor é o principal motivo para que os pacientes busquem avaliação médica para epicondilite lateral. A dor está localizada na parte externa do cotovelo, sobre a região óssea conhecida como epicôndilo lateral. Esta área pode tornar-se sensível ao toque. A dor também é produzida por qualquer atividade que coloca o estresse no tendão, como agarrar ou levantar objetos. Com a atividade, a dor geralmente começa no cotovelo e pode se estender ao antebraço e até a mão. Ocasionalmente, qualquer movimento do cotovelo pode ser doloroso.

Tratamento

Em alguns pacientes os sintomas desaparecem espontaneamente dentro de um ano. Para outros, tanto tratamentos cirúrgicos e não cirúrgicos estão disponíveis. Os tratamentos não cirúrgicos serão quase sempre considerados primeiro.

Estes podem incluir:

  • Modificação da atividade: Inicialmente, a atividade que causa a condição deve ser limitada. A modificação da pegada ou técnicas, como o uso de uma raquete de tamanho diferente no tênis, pode aliviar o problema.
  • Medicamentos: medicamentos anti-inflamatórios podem ajudar a aliviar a dor.
  • Suporte: uma braçadeira de contraforte, uma cinta usada sobre o músculo do antebraço logo abaixo do cotovelo, pode reduzir a tensão no tendão e permitir que ele se cure.
  • Fisioterapia: exercícios de alongamento e/ou fortalecimento, ultra-som ou tratamentos térmicos podem ajudar a dor.
  • Injeções de esteróides: um esteróide é uma forte medicação anti-inflamatória que pode ser injetada na área.
  • Injeções autólogas de sangue (IAS) ou plasma rico em plaquetas (PRP): inclui retirar sangue de um local não ferido e reinjetá-lo na área do epicôndilo lateral. Esta terapia é um foco importante de novas pesquisas e oferece alguma promessa.

A cirurgia só é considerada quando a dor é incapacitante e não respondeu a outros tratamentos e quando os sintomas duraram seis a 12 meses. A cirurgia envolve a remoção de parte do tendão doente e degenerado. A cirurgia seria realizada em caráter ambulatorial.

Recuperação

A recuperação da cirurgia incluirá fisioterapia para recuperar o movimento do braço. Um programa de fortalecimento será necessário para retornar às atividades anteriores. A recuperação pode demorar vários meses.

Fale com o seu cirurgião da mão para determinar a melhor opção de tratamento para você.

 

Encontre um cirurgião de mão perto de você

 

© 2018 American Society for Surgery of the Hand

Tradutores:
Carlos Henrique Fernandes, International Member of ASSH
Murilo Gobetti, Fellow Hand Surgery

Videos

Figures

PDF

Related Conditions